quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

O Parto

Dia 6 de Janeiro, ao contrário dos outros dias, o Pedro resolveu mexer-se menos. Para ficar tranquila fui às urgências para fazer ctg. Já não me lembro das horas, mas era final da tarde ou principio da noite. Fiz o toque, meio centimetro, e segui para ctg. Como em tantas outras vezes, acusava contracções, muitas e regulares, mas nada de dores. Por volta das 22h a médica chamou-me e disse "vai ficar internada...mas não é para nascer hoje. Fica cá a noite monitorizada e amanhã induzimos". "Como???" - pânico total. A enfermeira veio introduzir-me o famoso clister e mandou-me para o banho. Pouco tempo depois estava de bata e a entregar o saco com as minhas roupas ao papá que se encontrava à espera.



Levaram-me para a sala de partos, colocaram-me o soro, ligaram o ctg e chamaram o pai. Era meia-noite (mais ou menos) quando ele entrou. Imensas contracções (mais de 100%) e nada de dores. Passaram-se umas 2h e a enfermeira disse para eu tentar descansar porque o dia ia ser longo. (Esqueci-me de dizer que quando entrei para a sala de partos me deu um valente ataque de choro, de nervos, ansiedade, enfim...). O pai foi para casa tentar descansar e eu fiquei ali a olhar para o tecto, literalmente, a noite toda. Muito desconfortável, sem me conseguir mexer porque sempre que o fazia o ctg apitava.



Às 10h liguei ao pai e disse para vir, já estava farta de estar sozinha e confesso que várias vezes durante a noite me arrependi e ter ido às urgências. Pensei que se calhar mais um dia ou dois e ele nasceria sem ser induzido e porque só me lembrava de todos os casos que tinha lido de outras mamãs que diziam que a indução era bem mais dolorosa.



Meio-dia, o papá comigo, munida de revistas e um livro, contracções ao rubro, entra uma médica (ou seria um médico? lol) que me faz o toque e constata que está tudo na mesma. Indução no soro! Pânico! Novo ataque de choro só de imaginar que viriam aí as dores. Mas...NADA! Contracções atrás de contracções, a enfermeira a perguntar se não tinha mesmo dores, que as contracções estavam altíssimas, e eu nada.



14h - Aumentaram a dose para indução. E...NADA!



16h, novos médicos. Uma médica faz toque e diz que está tudo na mesma. Um outro médico, mais velho, diz que é melhor rebentar as águas senão nunca mais sairíamos dali.



Amigas...a coisa doeuuuuu, e doeu mesmo. Antes de rebentar as águas a médica fez-me um toque tão violento que eu quase trepava pelas paredes, e não relato pormenores porque são trerriveis. A partir daí as contracções tornaram-se dolorosas. Valeu-me a mão do meu namorado e a minha experiência em respiração abdominal (não fosse esta a minha área) e relaxamento. As dores eram perfeitamente suportáveis porque eram espaçadas as lembro-me de pensar que se a epidural não chegasse (mal rebentaram as águas mandaram chamar o anestesista) não aguentaria aquelas dores se se tornassem seguidas.



Estive assim 2h, por volta das 18h chegou um anestesista porreirissimo. Explicaram-me tudo, que não me podia mexer um milímetro durante a administração e eu confesso que fiquei assustada - "como raio ia eu não me contorcer se viesse uma cotracção?!?" - agarrei firmemente as mãos da enfermeira, digamos que lhe deixei as mãos quase roxas lol (ela só se ria) e foram-me explicando todos os passos e o que ia sentir. Não foi agradável, nada mesmo, não doeu, mas senti uma pressão horrivel. Deixei logoooooo de sentir dores. Um leve formigueiro nas pernas e sobretudo uma grande moca. Disse à enfermeira que naquele estado não ia conseguir jamais fazer força, que estava realmente mocada e até a sentir-me mal, a ver tudo à roda. Efeito da anestesia. Quando passou esta fase fiquei óptima, com um leve comichão no corpo e um bocadito de frio.

Duas horas depois, com muita galhofa pelo meio (estavam lá imensas estagiárias) disse à enfermeira que as dores estavam a começar a vir. Fez-me o toque - 5cm - e reforçou a dose de epidural. Eu disse outra vez que se fosse para me voltar a sentir daquela forma que não sabia se queria, mas claro, tudo menos as dores. E...grande moca outra vez! Um horror. Uma hora depois disse à enfermeira que estava a sentir um leve pressão. Disse isto a rir. Disse "sabe, tenho a sensação que a dilatação está praticamente feita". Mais um toque, 8cm. Pediu para não fazer força para já. Preparou tudo calmamente e disse "tenho de fazer este parto às escondidas porque está aqui uma médica de olho no seu parto". Respondi eu: "então, é bom que ela não saiba que o bebé está quase a nascer porque quem me vai fazer o parto é você!". (eu adorei esta enfermeira parteira e de todas as horas que esteve comigo foi incrível, de um profissionalismo, sentido de humor e muito carinhosa. Não imaginava ninguém melhor naquela altura).

Entretanto diz que me vai reforçar a epidural. Medo, muito medo. Disse-lhe que dessa forma não ia conseguir ter força. Ela disse que esta dose não dava fraqueza. Meu dito meu feito.

15min depois: "Faça força sempre que sentir vontade". Entraram as estagiárias. Éramos só mulheres e o pai, ihihih. Pedi ao pai para me segurar no pescoço. Não tive aulas de preparação, mas sei que não se deve fazer força na cabeça (não adianta nada). Fiz força sempre como se estivesse a cagar (literalmente lol) e depois de vários puxões sinto a cabeça a sair e o que ouço é a coisa mais incrível do mundo. Logo ali ouvi o meu bebé e foi uma emoção tão grande. Estava descansada porque depois de sair a cabeça a enfermeira pediu para não fazer mais força. Deu ali umas voltas e saiu todo. Um alivio imediato e o meu filho no meu peito. Enorme e lindo! Fiquei imóvel a olhar para ele. Ainda sinto a sensação do 1º toque na pele dele. O pai cortou o cordão e levaram-no ali mesmo para o meu lado para o limparem e fazer os testes.

Coseram-me e eu não senti nada. Estava absolutamente mergulhada no meu filho.

Foi um parto lindo, sem gritos nenhuns, com muita concentração, com a presença sempre do pai e um trabalho exemplar de todas as equipas que passaram por mim (3), mas sobretudo a última que foi espectacular.

E claro, foi no Hospital de S. Francisco Xavier, que já tem fama de ser 5* e tem o proveito!

4 comentários:

Pat disse...

Ufa!! O parto de facto foi óptimo, mas aquele tempo todo antes...eu acho que também desesperava!! Mas o que interessa é que no final correu tudo bem, certo?
Beijinhos

Vanessa Kirnicki disse...

Fiquei feliz de ler e saber que tiveste um parto fantastico. Eu entao ainda nao consegui esquecer nada do que passei e ainda agora tava na duvida se lia o teu parto ou nao... Enfim fiquei feliz por ti :)
Beijocas enormes

Sofia,Pedro e Joana disse...

Bendita epidural, querida mamã :-)
Mil beijinhos,Sofia,Pedro e Joana

Vânia disse...

Que maravilha!!!também quero o meu assim!!! :)
Mas assuta-me pensar que não nos podemos mexer quando nos dão a epidural...:(

beijinhso,