quarta-feira, 11 de março de 2009

Parvoice e meia!

Depois de ter lido o post da mamã Sofia (http://www.cegonhacorderosa.blogspot.com/), comentei-o e só hoje li o link que ela disponibilizou. Enquanto o lia, de forma perfeitamente incrédula, não sabia se havia de rir, chorar, gritar e chamar de idiotas fascistas a quem escreve textos daqueles. De repente dou-me conta que o fundamentalismo pró-amamentação está a ganhar corpo de uma forma cruel, desumana e começo a acreditar que é dirigida aqueles que têm pouca formação. Ao ler senti-me dentro de uma ditadura, onde frases como - e passo a citar - "As criança alimentadas a leite artificial correm o risco de ser menos activas,menos seguras de si, menos equilibradas e menos inteligentes do que os bebés amamentados", e continuam "Nos bebés alimentados a leite artificial a probabilidade de morte e diarreia, nos primeiros dois meses de vida, é 25 vezes superior à dos bebés amamentados.Após os 18 meses, este risco é 14 vezes superior.As alergias, problemas de pele e asma são muito mais frequentes quando o recém-nascido é alimentado artificialmente.Quando um bebé é alimentado só a leite materno,sem nenhum outro alimento ou bebida, fica protegido contra a diarreia e muitas outras doenças. Através do aleitamento materno,a mãe e o bebé desenvolvem um forte relacionamento que ajuda o bebé a sentir-se seguro e feliz." - vieram substituir as torturas psicológicas tão utilizadas na PIDE. O que me pareceu ainda mais absurdo neste artigo foi o facto dele ser completamente dirigido ao "Luta contra o marketing e venda do leite artificial", no fundo é: "Se continuares a comprar leite artificial, tetinas e biberons, estás a encher o teu filho de bactérias mortíferas, estás a MATÁ-LO!, estás a contribuir para a burrice da próxima geração, para a falta de actividade e felicidade da tua criança, que um dia mais tarde será um adulto limitado, quiçá um assassino em série, ou um drogadito que rouba e mata para mais uma dose. Aquele homem/mulher que verás no metro a vender pensos, nas esquinas a pedir dinheiro será o teu filho/filha, porque teve uma incapacidade atroz em desenvolver competências que o levassem longe nos estudos, chumbando vezes sem conta na 1ª classe e concluindo a escolaridade obrigatória, por isso mesmo, porque é obrigatória, já aos 30 anos e por piedade dos professores (esses sim alimentados a leite materno), tudo porque preferiste encher a tua despensa de leite artificial, acabando de uma vez por todas, logo no 1º dia de vida do teu filho, com os seus neurónios". Afinal viva a canábis, a coca e a heroína!

Isto de lutar contra o marketing dá-me vontade de rir. Vamos todos fazer uma grande corrente humana contra o marketing e publicidade na altura do natal. Vamos todos lutar contra o marketing do dia dos namorados,fazendo greve aos corações e caixas de chocolate. Abaixo a publicidade aos perfumes e relógios do dia do pai e vamos todos partir as montras de todas as lojas que façam alusão à compra de um presente no dia da mãe.

Mamãs, deixem-se de encontros nos parques e shoppings das cidades. Próximo encontro: Praça do Comércio, Lisboa, tragam todos os vossos biberons, tetinas, LA e demais utênsilios perigosos à saúde dos vossos filhos, encheremos aquela praça com toneladas, e com cartazes gritaremos palavras de ordem e queimaremos vivos todos estes objectos, que qual Joana d´Arc, morrerão no inferno.

E já agora esta:

"O leite em pó é produzido a partir do leite de vaca, que é bom para os vitelos, mas não para os bebés" - citação. Pois claro, só gostava de saber se estes senhores não dão leitinho da vaca após o leite materno ter acabado.

Já vai longo o meu texto e tenho ali o meu vitelinho a chorar.

Amigas, nem pensem em discordar de uma só palavra que eu disse, é que eu fui amamentada até 1 ano de idade pelo leitinho da mamã. Já a minha irmã, coitadita, como só teve direito a 1 mês de leitinho do bom, é mais limitadita!

Demasiado? Talvez...mas para parvoíce, parvoíce e meia!

(Talvez se em vez de gastarem tanto dinheiro com lutas como estas, o usassem para dar formação adequada a profissionais de sáude para que estes possam acompanhar de forma GRATUITA a mãe, mesmo depois de esta estar em casa, para que o processo de amamentação não se torne tão penoso a tantas mamãs, as coisas funcionassem melhor)

3 comentários:

Mara disse...

Tenho algumas coisas a dizer:
- Não fui amamentada (nem eu nem os meus irmãos);
E agora passo a basófia...
- Tenho uma licenciatura;
- Sou pós-graduada;
- Pratiquei natação, artes marciais entre outras coisas e tenho os joelhos cheios de cicatrizes devido a tanta actividade física e energia;

Não percebo o porquê desta guerrinha estúpida... amamentei enquanto me foi possível, mas sofri muito fisica e psicologicamente e não creio que isso tenha sido benéfico para o João.

E só para desanuviar:
- Vivam as maminhas! Vivam os leites artificias! A malta quer é estar de barriguinha aconchegada!

Beijocas

eu mesma! disse...

Nem sei muito bem o que dizer... porque eu não concordo com tamanha aberração de campanhas defices... mas era toda apologista da amamentação e meti na cabeça que ia amamentar até tarde, bem me lixei... e sinceramente partilho da mesma opinião... pk não ajudar as mães em vez de massacra-las como eu fui massacrada sem dar por isso no posto médico.... ao sexto dia após o nascimento do meu filho já chorava eu e ele.... ele coitadinho de tanto chorar rebentou a boca era sngue por todo o lado o meu marido tambem já chorava, e disse: maldita a hora que concordei em ires para a preparação ao parto é por causa dessa porcaria que estás a evitar dar leite ao menino.... maldita a hora.... são elas que agora estão aqui??? não és tu eu e ele...
Ficou me marcado... e a partir deste dia acho que tomei "tino"... sim fartei me de chorar até o diogo fazer um mes.... porque não tinha leite.... para quê não o trouxe de volta!

Carina disse...

Bolas... que exagero!!! É verdade q o aleitamento materno tem algumas vantagens para o bebé q o leite artificial não tem... mas possas, aquilo é ridículo. Dá mesmo vontade de rir com tanta ignorância! :D