quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Os futuros papás

Bem, há diversos tipos de comportamento nos futuros papás. Há aqueles que passam a gravidez da mulher como se nada fosse, ou melhor, como se fosse obrigação dela dar-lhe um filho e que todas as maleitas, mal estar etc são ossos do ofício e há que aguentar. Acompanhar a mulher às consultas é coisa impensável e até mesmo ir às ecografias não é coisa para eles. Durante esses 9 meses toda a intimidade está proibida (lá vão eles às putas) e o bebé não é motivo de conversa em casa. A mulher é parideira e dona de casa. A sua função é tratar da casa e das coisas do marido e ponto final!

Depois há aqueles completamente hiper protectores. Mal sabem que a mulher está grávida é metê-la numa redoma de vidro. Nada de tocar, de mexer, o melhor é deixar de trabalhar, o sexo se calhar faz mal, contratam empregada para as lides domésticas e até lhes dão banho.

Há os considerados normais. Deliram com a notícia, dão muitos beijinhos à mulher, tocam na barriguinha, falam sobre os medos e ansiedades, acompanham às consultas e ecografias, compram o 1º boneco, dão palpites para o sexo...E acham que o sexo entre eles é benéfico.

Há ainda os fogo de vista. Deliram com a noticia, falam orgulhosos aos amigos do seu mais novo estatuto mas...a mulher que trate de tudo!

E depois há o meu :) Delirou com a notícia, orgulha-se do seu mais novo estatuto mas não anda a espalhá-lo a todos os ventos, tem um medo terrível de não ser capaz (o que para mim é sinal de que é capaz), acompanha-me a todas as consultas, ecografias e vai comigo fazer todas as análises (porque o trabalho permite claro), faz festinhas na barriga, fala com o bebé, ofereceu logo um ursinho, opina em todas as escolhas e decisões, compra-me os cremes anti-estrias.

Parece perfeito não é? Pois, mas FELIZMENTE não é. Digo felizmente porque para além de não acreditar na perfeição é coisa que não me entusiasma, acho desinteressante e não me motiva.

Ele não tira fotos à barriguinha (esquece-se), não faz massagens e trabalha tanto que não o vejo quase.
Às vezes fico triste, e fico triste porquê? (porque sou parva, porque as hormonas devem andar destrambelhadas).

Às vezes penso que me esqueço muito do que ele está a passar com a gravidez, esqueço-me que também ele precisa de carinho, festinhas na barriga...Ando tão centrada em mim própria que não me lembro de pensar: "O que irá na cabeça dele?!?"

5 comentários:

Vanessa Kirnicki disse...

Ola :)
Sabes eu acho que isso acontece com todas. O meu marido preocupa se, se eu precisar ele faz tudo em casa, nao sai de casa sem dar um beijinhos na barriga, sempre que nos encontramos a primeira coisa que pergunta e como eu e o bebe estamos. Mas nao o vejo mto entusiasmado, diz que esta desejoso que ele nasca, e eu sei que esta, sei que quando o bebe nascer ele vai fartar se de chorar, sei que mta coisa vai mudar e vai ter mto mais impacto nele que em mim. Nao me preocupo mto com isso pois n tenho que me queixar so quando vou as compras e ele n tem paciencia nenhuma grrr...
BEIJINHOOOS

Vanessa Kirnicki disse...

Sabes costumam dizer que Toronto e Nova York melhorado. Aqui ha de tudo, teatros, museus, cinemas gigantes, movimento a toda a hora... enfins de coisas para fazeres! E uma cidade onde vives com seguranca, as pessoas aqui sao boas, nunca conheci pessoas tao boas como conheco aqui... Mas e claro a magia de Nova York e outra coisa, eu vou passar o natal a Nova York daqui a 3 anos com um grupo de amigos e todos dizem que sente se a magia naquela cidade...
Mas prontos prefiro ca o meu Canada! :)

BEIJINHOOOS

Claudia Capela disse...

realmente, há papás para todos os gostos :)

Olha o pai do Afonso não fala muito com ele, acho que ainda não se sente á vontade, mas gosta de o sentir mexer, se bem que a maioria das vezes sou eu que pego na mão dele quando o Afonso mexe, mas o importante é que sei que está feliz. E tem muita paciência para aturar os meus medos e preocupações, e tentar também ele não entrar em pânico :)
E muito importante quer lá estar quando o Afonso nasceu, e isso eu admiro, porque se fosse ao contrário, não sei se eu teria coragem :)

Beijinhos

Claudia Capela disse...

Quando o Afonso nasceu não... Nascer :) Que ainda faltam umas semaninhas :)

Bjs

dona cegonha disse...

Pois é eu tb sou uma das que me queixo, mas o meu marido ficou delirante com a noticia, acompanha me sempre nas idas ao medico, ecografias etc, so o k ele nao pode fazer é que ele nao faz, dá me festas na barriga e adora qd sente os pontapes dela,de resto nao fala mt para ela, axo k como diz a claudia nao se sente mt á vontade.
Qd ando mais em baixo com akelas neuras que deus me livre, queixo me que ele nao me ajuda nada em casa e que ele nao me trata como gravida mas como uma mulher normal e forte, e dp ralho mt por isso....mas dp qd a neura passa, eu reflito um pouco e penso: do que me serve ter um super marido, o principe perfeito, que me trata como uma donzela e k passa a vida a fazer surpresas ao bebe e coisas mt malucas, se dp qd o bebe nasce a realidade lhe cai em cima e td acaba mal e vai um para cada lado porque o casal nao consegue adaptar se á nova vida, porque sempre imaginou tudo mt fantasiado e facil??
Portanto eu nao me quero queixar mais!!!!